Ads 468x60px

12 de out de 2010

ABC DO CABELEIREIRO

Oi, gente, olha hoje eu recebi a revista deste mês de outubro e ela veio com uma pequena revistinha denominada ABC do cabeleireiro. Com aquelas palavrinhas complicadas que as vezes os clientes ficam a se perguntar. Emfim vamos logo para o que realmente importa. Vamos conhecer cadas significados destas palavaras. Tenham um boa leitura. Aproveitem.

Alex Almeida

Acido Hialurônico - Essa protéina produzida pelo organismo tem o poder de hidratar a pele e já está presente nos produtos para calelos e também cosméticos da AVON. Age diretametente na hidrtatação do couro cabeludo, tornando-o mais elástico, equailibrado e nutrido, amenizando o desgaste do dia adia.


Água  - Superaquecimento no lavatório ne pensar! Para não aumentar a olosidade nem ressecar o cbelo, aposte em uma temperatura morna, quase fria(entre 20 e 25 graus. ) Para da mais maleabilidade aos cabelos use uma água mais fria na ultima aplicação para da mais brilho também.
Água Oxigenada  - Ativo que oxida a melanina, permitindo que outro pigmento  - o da coloração -se deposite no interior do rio e mude sua cor. Pode ser encontrada em 10,20,30 ou 40 volumes, cada uma indicada para uma tonalidade e para um tipo de cabelo, o que reduz o risoco de ressecamento.
Á La Garçonne   - A maneira de menino - O estilo nasceu na França em 1911, quando o cabeleireiro Antoine de Paris precisou cira uma imagem jovial para a atriz Eve Lavallière. Mas o termo " á la garçonne" só aparece na dècada de 1920, no romance La Garçonne, de Victor Margueritte, em que a heroína usava cabelos curtos e roupas em estilo masculino , tornando-se símbolo da mulher liberada, ativa e moderna daquela época de guerra na Europa, quando as mulheres foram trabalhar em fábricas e indústiras e houve  a necessidade de cortar os cabelos bem curtos. Com fraja acima das sobrancelhas, batido na nua e comprimento na altura das orelhas em linhas retas, fou uma solução que não tirou o charme da mulher, Imortalizado por Louise Brooks, estrla máxima do cinema mudo conhecida por seus romances, sendo o mais famoso co m Cahrles Chaplin, foi  usado  pelas melindrosas para daçar o Charleston, com vestidos esvoaçantes. O tpo da cabeça é cortado mechas a mecha na horizontal, e os fios molhados terminama em vírgulas laterais, o que o diferenica do clássico Chanel 1920. Optando pela franja frontal, temos realmente uma tendência bob, estilo de efeito redondo em toda a volta da cabeça, que se assemelha á boina ingrelsa.. A francesa é outra variação da boina: corte assimétrico que cobre a parte superior da orelha do  lado dirieto, mas deixa a orellha contrária descoberta.

Este é o famoso Á la garçonne de 1911 ( personagem melina )

O channel de 1920

Aminoácidos  - Minúsculas partículas que compõem as proteínas do fio, estão presentes em xampus, condiconadores e produtos de tratamentos para reconstrução. Preeenchem fissuras na parte interna ou externa do cabelo, tornando-o mais resistente, flexível e brilhante.
Bucles  - Do francês, Lé-se búcles; pode ser traduzido por pequena mehcaa de cabelo enrolada em forma de caracol. São os rolinhos feitos com o dedo  ou com o cabo de pente.

29 de set de 2010

PREPARE SEUS PINCÉIS:

















"Eis os cenário para a temporada de calor que se inicia: as mechas vão aparecer  de forma bem natural e sutil, sem marcação explícita.É o que asseguram os mestres da colorimetria consultados  por CABELOS&CIA para esta reportagem. Quer saber mais?  Pois nossos experts atestam que as cores fquentes virão com força total, trazendo os tons acobreados que tingieram as cabeças no inverno, mas dessa vez em verão solar, bem mais vibrante.O louro escuro dourado com leves toques acobreados, aliás. dev predominar nas paletas, com suas variações, tirando de vez os matizes monocromáticos de cena. A regra é mescalar, com sultileza, nuances complementares, que se combinem e ajudem a ressaltar a feminilidade e a sensualidade características de estação.


Saiba mais o que eles disseram sobre a moda-cabelo nos próximos meses.




JOÃO DA MATA, LA BEAU ( SP)


" A estação será marcada pelas mudanças práticas e sutis. A primavera chega repleta de dourados claros e acobreados que dão  vida nova aos matizes clássicos. Nos fio longos, pontas claras, com  no reflexo californiano, fazendo contrastes com raiz ligeiramente mais escura ( cor 6/0  ) . A suavidade do cobre deve imperar, inspirada nos raios solares com seu tom dourado. Teremos também o  louro acaju acinzentado. As tonlidades de sombra também serão muito usadas, criando nuances de tom-sur-ton bem femininas."


JUHA ANTERO, MG HAIR DESIGN ( SP )


" Cores pererenes deverão prevalecer, com os louros de verão, à Paris Hilton, e os marrons mais naturais, com o da modelo Isbelli Fontana. O vermelho quase não aparecerá , pois desbota com mais facilidade, e nessa temporada ele será substituído pelo cobre. As mechas masi finas também

14 de set de 2010

ESPAÇO DA MODA


Além da realidade



========================================================================================================================================================================================================================


Alexandre Herchcovitch apresenta coleção para o Verão 2011 no quinto dia da semana de moda de Nova York (13/09/2010)
Esta coleção veio com uma cartela de cores bem colorida. Beje, verde , vermelho, preto, azul , amarelo.
Cores do verão serão bem vibrantes.


70’s Marc Jacobs Show
Reproduçãomarcjacobs1Marc Jacobs primavera-verão 2011
A única coisa capaz de desviar as atenções de Tom Ford, o monotema dessa segunda-feira (13/09), foi o desfile de Marc Jacobs. Tudo começou dias antes, com a montagem de um cenário cheio de placas curvadas, reveladas por Robert Duffy via Twitter. O empresário postou fotos e garantiu que ninguém descobriria o resultado. Não até a hora do desfile, que aconteceu ontem às 22h (horário de Brasília) e foi transmitido ao vivo pelo site Marc Jacobs Live.
Quem conseguiu assistir – o Blog LP conseguiu, mas os protestos dos tweeteiros mostraram que não foi assim com todo mundo – viu uma passarela dourada, com uma espécie de círculo curvado no centro, de onde saíam as modelos, várias por vez, uma de cada fenda, ao som do Verão, de “As Quatro Estações” de Vivaldi. Trilha bem propícia pra uma coleção quente, em todos os sentidos. Tudo era maxi: as flores nos cabelos frisados das modelos, cintos com laçarotes, babados, chapéus de abas enormes, os volumes, a fluidez.
Reproduçãomarc-jacobs2Marc Jacobs primavera-verão 2011
Os anos 70 de volta em plena primavera-verão 2011, pegando emprestado um perfume dos anos 40 nas modelagens de vestidos e casacões. O estilista apresentou um caldeirão de influências que se revelavam conforme as modelos entravam na passarela. Jodie Foster em “Taxi Driver”, de Martin Scorsese, a saharienne de YSL, um toque de ciganismo e latinidade e até uma série que lembrava as criações da Missoni, com seus tricôs em zigue-zague. Tudo bem mixado, ao estilo Marc Jacobs. E ele roubou as atenções – de novo.

 Os vestidos de Miele passeiam na passarela na semana de moda de Nova york.

Reproduçãocarlos-miele-ver-11-1Carlos Miele primavera-verão 2011
Brasileiro na pista: Carlos Miele apresentou a primavera-verão 2011 na Semana de Moda de NY. Ele não é o único representante nacional na temporada (Alexandre Herchcovitch com sua marca própria e a Rosa Chá, fazendo repeteco dos desfiles do SPFW, é outro; e Francisco Costa à frente da Calvin Klein completa o trio). Dessa vez Miele chamou pra trilha ao vivo a cantora de bossa nova que provavelmente é a mais conhecida do mundo depois de Astrud e sua “Girl from Ipanema”: Bebel Gilberto. E ela cantou… “Another Brick in the Wall“, do Pink Floyd. Então a moda do estilista mudou para algo mais agressivo? Não, na verdade não dá pra entender porque “we don’t need no education“, mas deu pra entender que Miele continua encantando as americanas com seus vestidos de noite e looks longos e curvilíneos! Branco com cores fortes (amarelo, laranja, azul), estampas de borboletas e a sequência de roupa de festa em preto com transparência do fim propõem o que as nova-iorquinas ávidas por sensualidade brasileira precisam. E não, elas não precisam de educação.
carlos-miele-ver-11-2Carlos Miele primavera-verão 2011

Escarpin

Arezzo, Santa Lolla, Schutz

Por definição, o Scarpin é o calçado que esconde os dedos do pé e é fechado na parte de trás. Ele pode ter bico fino, arredondado ou quadrado. Seu salto tem altura mínima de quatro centímetros e se ultrapassar dez, passa ser chamado de stiletto.


Arezzo, Santa Lolla, Schutz
Os Peep Toe são sapatos abertos na ponta, que mostram pelo menos um dos dedos. A expressão vem do inglês "peep", que quer dizer começar a aparecer, e "toe", que quer dizer dedo.


Shoestock
Ankle boot são botas de cano curto, geralmente na altura dos tornozelos e às vezes um pouco abaixo.


Arezzo, Santa Lolla, Schutz
Clog significa tamanco em inglês. São altas plataformas de madeira, que podem ser vazadas ou não, e apresentam diferentes formatos.


Sapatilhas

Arezzo, Shoestock, Schutz
As sapatilhas, também conhecidas como flats, são sapatos sem salto e que têm ou não a ponta fechada. O bico pode variar entre fino, redondo, quadrado e até peep toe. Garantem um look elegante e ao mesmo tempo confortável.


Gladiador
Arezzo, Santa Lolla, Schutz

As sandálias também receberam classificações, o modelo gladiador tem tiras que envolvem as pernas, no geral até a altura do tornozelo, mas existem modelos que vão até a canela ou o joelho.








Mocassim
Arezzo
O mocassim, conhecido também como drive, foi inicialmente criado para ser um sapato para dirigir, daí vem o termo drive. É um sapato extremamente confortável e elegante. O mocassim comum se diferencia do mocassim tradicional por ter pequenas tiras de borracha nas solas.




Meia-pata

Arezzo, Santa Lolla, Schutz
Meia-pata é a plataforma que sustenta a parte da frente do sapato e tem um salto não tão fino logo atrás. Ele é quase um meio termo entre a plataforma Anabela e o salto agulha (não tão pesado quanto o primeiro, nem tão leve quanto o segundo). Geralmente essa plataforma tem de 3 a 5 cm.






Anabela

Arezzo, Santa Lolla, Schutz
Lançado na década de 30, a Anabela é um sapato com sola em formato de cunha, ou seja, são solados estilo plataforma mais estreitos. O modelo tem variações de altura, mas proporciona conforto à coluna, visto que o peso fica mais distribuído.


-->

Espadrilha

Arezzo, Santa Lolla, Schutz
O modelo mais moderno e atual de sapato de verão é o Espadrilha. Com origem espanhola e portuguesa, sua característica é um solado de corda trançado e costurado a um tecido resistente. Existem modelos com saltos bem femininos e modelos mais casuais, sem salto.


Oxford
Shoestock, Santa Lolla, Schutz
Essencialmente masculino, o sapato Oxford ganhou versões especiais e foi parar no guarda-roupa feminino, se transformando em uma tendência que se firmou. Anunciada há quase dois anos, essa tendência foi motivo de polêmicas e discussões, mas finalmente já desfila nos pés de muitas mulheres.

SEGUIR EMAIL